Notícias

Abertura do Ano Letivo em Carregal do Sal

Duas abordagens à Educação e distinção dos Melhores Alunos 2016/2017

Antecipando o início do ano letivo 2017/2018, a Câmara Municipal realizou a já habitual cerimónia de boas vindas aos professores e distinção dos melhores alunos do ano letivo transato.

Inicialmente prevista a presença/participação da Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, isso acabou por não acontecer por imperativos de última hora que levaram a representante do Governo a cancelar a agenda prevista.

A Cerimónia foi então presidida pelo edil carregalense, Rogério Mota Abrantes, que se fez acompanhar na mesa da sessão pelo Presidente da Assembleia Municipal, Jorge Gomes; pelo Vereador da Educação, José Sousa Batista; pelo diretor do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, Herminio da Cunha Marques e pelo orador convidado, António Nunes, que dividiram também a tarefa da distribuição dos prémios aos Melhores Alunos.

Coube ao Presidente da Assembleia dar as boas vindas a todos num discurso breve, mas claro de incentivo a professores (aos que vão lecionar no Concelho pela primeira vez e aos que já lecionam no Agrupamento de Carregal do Sal), pessoal não docente e alunos felicitando, de forma particular, os que atingiram classificações de mérito.

Depois usou a palavra o diretor do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, Hermínio Cunha Marques, que falou sobre “O Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal: Verdade(s) Pedagógica(s).” Ao abordar a temática, Hermínio Marques sublinhou que, apesar de dirigir o que a comunicação social apelida de Agrupamento do interior, há muitas situações em que nos destacamos referindo-se, por exemplo, ao facto de ser um dos poucos Agrupamentos portugueses que fazem parte da rede de escolas Unesco; de ter ficado em 1.º lugar no ranking de Português do 12.º ano em 2011;  de ter conquistado a Bandeira e-Twinning; de ter alunos empreendedores que avançaram com o primeiro Gap Year… Assumiu então que não existem verdades absolutas em educação e muito menos fórmulas mágicas para o sucesso. E justificou: talvez por isso “o nosso sistema educativo esteja sempre em constante mudança, com reformas e contra reformas, tentando encontrar a saída”.

Ainda com enfoque no caráter mais pedagógico da Educação, seguiu-se um outro orador – António Nunes, Professor Doutor com um vasto curriculum na área e atualmente a lecionar na Universidade Lusófona do Porto, que surpreendeu na abordagem à temática “A Escola de Hoje: um espaço de sentidos, de reencontros e de incertezas”. António Nunes sublinhou que o modelo de escola é o mesmo dos finais do século XIX; o que mudou foi a forma de pensar dos alunos. No seu discurso, não esqueceu a importância das novas tecnologias que considera instrumentos do presente do futuro.

Dirigindo-se aos professores, admitiu que a própria escola e o isolamento são fatores que dificultam o exercício da profissão, pelo que os aconselhou a procurar outros espaços “para refletir, pensar, decidir em grupo, discutir as coisas da Educação”. 

Seguiu-se a distinção aos Melhores Alunos de 2016/2017 do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal. Chamados por níveis e ordem alfabética crescente, os 31 alunos do 4.º, 6.º, 9.º e 12.ºano (profissional e regular) subiram ao palco para serem premiados registando-se, apenas a ausência de uma aluna que, por questões pessoais não pode comparecer, mas que se fez representar por uma familiar.

Antes do encerramento da Cerimónia, o Vereador da Educação da Câmara Municipal, José Sousa Batista, leu uma breve comunicação da Secretária da Estado Adjunta e da Educação que, apesar da impossibilidade em estar presente, não quis deixar de se associar à cerimónia e enviou uma mensagem.

 Coube ao Presidente da edilidade carregalense, Rogério Abrantes, fazer a última intervenção da Cerimónia, na abordagem à temática “Assunção de Competências na Educação – visão autárquica” após dirigir palavras de boas vindas a professores e de parabéns aos alunos distinguidos.

Sobre o mote da sua intervenção, Rogério Abrantes referiu-se às competências que, nos últimos anos, têm sido imputadas aos municípios entre as quais os transportes escolares, as refeições do 1.º ciclo e da Educação Pré-escolar, as Atividades de Enriquecimento Curricular… Responsabilidades que trouxeram enormes esforços financeiros aos municípios, sem que lhes fossem “garantidas contrapartidas duradouras no tempo”.

Perante este cenário questionou “Estarão os municípios em condições de assumir mais responsabilidades e competências? Haverá, com os contornos da realidade atual, condições para os municípios assumirem tais competências?” e assumiu que a resposta “é de enquadramento duplo. Sim, se nos detivermos na vontade dos municípios em bem fazer e em melhorar as condições de vida das suas populações. Não, se nos detivermos na impossibilidade dos municípios, principalmente os de menor dimensão como é o caso de Carregal do Sal, em assumir sem contrapartidas efetivas e duradouras a viabilização de tais responsabilidades.” Concluiu, portanto, que “o Governo tem um desafio de monta: saber criar e promover condições que nos permitam, a nós municípios, potenciar no terreno todas as vantagens que a assunção de competências poderá traduzir.”

Terminada a sessão, os professores foram presenteados com a entrega de uma lembrança oferecida pela Câmara Municipal e pelo Agrupamento de Escolas, seguindo-se um almoço convívio, na Escola Básica de Carregal do Sal.

Data de Publicação: 14/09/2017